Como vencer a crise – Parte 7

como vencer a crise 7

Dando continuidade a nossa série “como vencer a crise” hoje nós vamos ver um tipo de crise diferente: é uma crise de fé e de caráter. Nós vamos ver como uma decisão baseada na fé e no caráter de alguém pode gerar impactos para o futuro dessa pessoa e alterar completamente o seu destino.

Vamos nos concentrar na passagem bíblica que está no livro de Gênesis Capítulo 39. Vamos ver como uma atitude de José mudou completamente a vida dele.

A crise: Mesmo sendo um escravo no Egito, José estava muito bem no trabalho dele. José era integro e eficiente. Ele era devidamente reconhecido por isso. 
Mas o jovem enfrentava um grande problema: ele era constantemente assediado pela mulher do seu dono. A mulher do militar o assediava para que ele viesse a ter relações com ela. 

Como já vimos antes, José era um jovem integro, correto e temente a Deus. No momento dos acontecimentos, o filho de Jacó era um escravo. Ele estava morando na casa de Potifar, o capitão da guarda do palácio. Portanto, como militar ele, Potifar, era um homem rigoroso e exigente. Vendo que Deus estava com o jovem escravo e que José estava com Deus, o capitão confiou plenamente no jovem e delegou a administração da casa dele aos cuidados do escravo.   

Tudo ia muito bem até que começaram as investidas da mulher do capitão. Logo que ocorreu a primeira tentativa onde a mulher propôs a José que ele agisse mal e traísse a confiança do seu dono, o jovem, fiel a Deus, comentou com ela:

Nesta casa eu mando tanto quanto ele. Aqui eu posso ter o que quiser, menos a senhora, pois é mulher dele. Sendo assim, como poderia eu fazer uma coisa tão imoral e pecar contra Deus? Gênesis 39; 9 

José, de todas as maneiras, procurou se esquivar das constantes investidas da esposa do militar. Isso foi acontecendo até que um dia, a mulher o segurou e o obrigou a manter relações com ela. Ele mais uma vez não aceitou e fugiu do local. Por causa disso, o jovem virou alvo da feroz vingança da esposa do seu dono. A esposa do oficial inventou uma história dizendo que José havia atacado ela. Quando Potifar ficou sabendo do ocorrido, a raiva tomou conta dele, e ele acabou mandando José para a cadeia. 

Como podemos ver José fez a coisa certa. Ele procurou não se corromper. Ele procurou primeiro não desagradar a Deus, e nem trair a confiança do seu dono.  Mesmo fazendo o que era correto José foi mandado para o cárcere. Mais uma vez ele estava pagando um alto preço por não aceitar fazer a coisa errada. Novamente ele estava sofrendo por não querer desagradar a Deus.

Alguém pode pensar: Quanta coisa ruim aconteceu para José por ele ter sido fiel a Deus. Parece até que Deus havia abandonado o seu servo. Por mais que o fiel José fizesse a coisa certa, ele sempre estava se dando mal. 

Mas a coisa não é bem assim. Realmente as primeiras consequências das decisões de José, pela visão do mundo, não foram as melhores. Esse é o caminho estreito. É preço a ser pago.  Não é possível agradar a Deus e ao diabo. Se José tivesse se envolvido com as coisas erradas que os irmãos dele faziam, ele não estaria ali no Egito. Se José tivesse cedido às investidas da mulher do oficial o destino dele seria diferente.   

De tudo que conhecemos dessa história nós podemos concluir o seguinte: 

Se José não fosse um jovem temente a Deus e não procurasse seguir os caminhos do Senhor, ele não teria visto na vida dele as maravilhas que Deus havia preparado para ele. Para o mundo, os caminhos de Deus são loucura. Às vezes os caminhos errados parecem ser os mais fáceis e melhores, mas quem toma o caminho do mal acaba colhendo igualmente coisas más. Aquele que anda no caminho do pecado não desfruta das bênçãos e recompensas que Deus reserva somente para os seus eleitos, aqueles que são íntegros, que têm fé e perseveram em fazer o bem até o fim. 

Um forte abraço e fique com Deus 

Edilson Rodrigues Silva

Veja também: