Mensagem sobre Maria

C

26 Ora, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. 28 E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo. 29 Ela, porém, ao ouvir estas palavras, turbou-se muito e pôs-se a pensar que saudação seria essa. 30 Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. 31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. 32 Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai; 33 e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. 34 Então Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, uma vez que não conheço varão? 35 Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus. 38 Disse então Maria. Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela. –  Lucas 1:26-35 e 38

28 E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo.
38 Disse então Maria. Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela. –  Lucas 1:28 e 38

Esses textos nos mostram algumas características que fizeram da jovem Maria uma mulher muito agraciada e querida do nosso Deus de Amor. Maria era uma mulher que, mesmo sendo muito jovem, já andava na presença de Deus. Tais características fizeram dela uma jovem segundo o coração de Deus. Tanto que o anjo Gabriel disse:

O Senhor é contigo. – Lucas 1:28

A palavra de Deus nos orienta e nos ensina que Deus não anda com o mal:

Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniqüidade, nem contigo habitará o mal- Salmo 5:4

Deus é luz, e nele não há trevas nenhumas. 1 João 1:5

Como já vimos: o nosso Deus não anda com o mal. Portanto Ele só estava com Maria por que ela era uma jovem de boa conduta, bom coração e temente a Deus. Da mesma forma, Maria só tinha a presença de Deus na vida dela porque ela andava nos santos e felizes caminhos do Senhor, ela amava a Deus e procurava ter um coração reto diante do Pai.

Como se fará isso, uma vez que não conheço varão? – Lucas 1:34

Uma grande virtude que Maria tinha era a sua comunhão com Deus, isso claramente percebida por meio da sua Santa e abençoada castidade.

39 Naqueles dias levantou-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, 40 entrou em casa de Zacarias e saudou a Isabel. 41 Ao ouvir Isabel a saudação de Maria, saltou a criancinha no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo, 42 e exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre! 43 E donde me provém isto, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor? 44 Pois logo que me soou aos ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria dentro de mim. 45 Bem-aventurada aquela que creu que se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas. 46 Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, 47 e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador; 48 porque atentou na condição humilde de sua serva. Desde agora, pois, todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49 porque o Poderoso me fez grandes coisas; e santo é o seu nome. 50 E a sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o temem. 51 Com o seu braço manifestou poder; dissipou os que eram soberbos nos pensamentos de seus corações; 52 depôs dos tronos os poderosos, e elevou os humildes. 53 Aos famintos encheu de bens, e vazios despediu os ricos. 54 Auxiliou a Israel, seu servo, lembrando-se de misericórdia 55 (como falou a nossos pais) para com Abraão e a sua descendência para sempre. – Lucas 1:41-55

Podemos ressaltar ainda a disposição de Maria para servir ao próximo. Ela tinha muita fé em Deus. Ela Amava e glorificava o Senhor.

15 E logo que os anjos se retiraram deles para o céu, diziam os pastores uns aos outros: Vamos já até Belém, e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos deu a conhecer. 16 Foram, pois, a toda a pressa, e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura; 17 e, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita; 18 e todos os que a ouviram se admiravam do que os pastores lhes diziam. 19 Maria, porém, guardava todas estas coisas, meditando-as em seu coração. 20 E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes fora dito. – Lucas 2:15-20

13 E, havendo eles se retirado, eis que um anjo do Senhor apareceu a José em sonho, dizendo: Levanta-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito, e ali fica até que eu te fale; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. 14 Levantou-se, pois, tomou de noite o menino e sua mãe, e partiu para o Egito. – Mateus 2:13-14

19 Mas tendo morrido Herodes, eis que um anjo do Senhor apareceu em sonho a José no Egito, 20 dizendo: Levanta-te, toma o menino e sua mãe e vai para a terra de Israel; porque já morreram os que procuravam a morte do menino. 21 Então ele se levantou, tomou o menino e sua mãe e foi para a terra de Israel. – Mateus 2:19-21

Maria tinha um espírito calmo, manso e tranqüilo. Ela era uma mulher discreta e muito confiante nos caminhos do Senhor. Ela ouvia. Ela sentia e no seu coração guardava e esperava que o Senhor cumprisse na vida dEla os desígnios do Soberano Senhor das nossas almas.

Maria não se rebelava e era submissa ao seu marido. Quando necessário, ela acatava as decisões de José com retidão e sabedoria. Quando foi preciso ir para qualquer lugar ela o acompanhou e cuidou do menino Jesus com todo amor, carinho e dedicação.

Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, e estava ali a mãe de Jesus; 2 e foi também convidado Jesus com seus discípulos para o casamento.

3 E, tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho. 4 Respondeu-lhes Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. 5 Disse então sua mãe aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. 6 Ora, estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas. 7 Ordenou-lhe Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. 8 Então lhes disse: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E eles o fizeram. 9 Quando o mestre-sala provou a água tornada em vinho, não sabendo donde era, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água, chamou o mestre-sala ao noivo 10 e lhe disse: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. 11 Assim deu Jesus início aos seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele. 12 Depois disso desceu a Cafarnaum, ele, sua mãe, seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias. – João 2: 1-12

Mais uma vez podemos observar o quanto Maria se importava com o próximo. Maria estava atenta as necessidades dos irmãos. Naquele casamento ela ficou aflita com a carência da família que não tinha mais vinho para servir aos convidados.

Ela já sabendo da Força e do Poder do Senhor Jesus nos ensinou um caminho maravilhoso quando sabiamente foi procurar o Senhor Jesus. Ela não foi resolver sozinha a situação. Ela não se colocou a frente para mudar a vida daquelas pessoas, ela sabia muito bem que a pessoa que tinha a Força e o Poder para transformar qualquer coisa era o Senhor Jesus Cristo e, com toda humildade e carinho de mãe ela falou com o Senhor:

Eles não têm vinho. – João 2:3

Maria sabia desde a aparição do anjo Gabriel quem que era o seu Filho Jesus. Ela sabia que Ele era na verdade não um homem comum, mas sim o maravilhoso e majestoso Filho do Deus Altíssimo que estava aqui entre nós, na presença física do nosso amado Senhor Jesus Cristo. Sabendo disso ela humildemente disse aos serventes e a todos nós também:

Fazei tudo quanto ele vos disser. – João 2:5

Esse pequeno texto mostra toda humildade, obediência, sabedoria e graça dessa grande e bem aventurada mulher de Deus. Ela não havia sido escolhida por acidente e sim por mérito. Ela era um exemplo de esposa humilde, obediente, solidária, e principalmente, um exemplo no amor ao próximo e de temor a Deus.

Com essas sábias palavras Maria, além de ser mãe, ela se tornaria também um das principais discípulas de Jesus Cristo, pois ela mais que divinamente revelou ao mundo a Força e o Poder do Senhor Jesus quando ela nos orientou:

Fazei tudo quanto ele vos disser. – João 2:5

25 Estavam em pé, junto à cruz de Jesus, sua mãe, e a irmã de sua mãe, e Maria, mulher de Clôpas, e Maria Madalena. 26 Ora, Jesus, vendo ali sua mãe, e ao lado dela o discípulo a quem ele amava, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. 27 Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde àquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. – João 19:25-27

Mesmo diante da dor e do sofrimento Maria se mantinha de pé. Ela retirava forças não se sabe de onde para suportar tantas e tantas provações. Com certeza, era o nosso Deus e Pai quem a sustentava diante daquele terrível e redentor sofrimento que o nosso Senhor Jesus Cristo teve que suportar para nos dar a nossa liberdade, salvação e vida eterna.

Não é possível imaginar o tamanho do sofrimento daquela mãe. Entretanto, nós podemos observar algumas coisas:

Uma delas é a impressionante fidelidade e o grande amor que Maria tinha ao Senhor Jesus. Ela, mesmo diante de tamanha dor e sofrimento jamais abandonou o seu filho amado. Ela esteve ao lado dEle em todos os momentos.

Outro fato muito emocionante é o cuidado do Pai para com Maria. Naquele momento de grande aflição, tanto do senhor Jesus quanto da mãe dEle, o Pai a sustentou. O Pai lhe deu forças e fé para que ela pudesse suportar tamanha dor, injustiça e sofrimento.

Mesmo diante daquele momento de extrema angústia, humilhação, dor e sofrimento, o Senhor Jesus mostrou o seu cuidado para com ela e, num gesto de Amor que não podemos expressar por palavras de tão grande que é, deixou o Apostolo João para cuidar dela. Da mesma forma ele deixou ela para cuidar de João.

14 Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele. – Atos dos Apóstolos 1:14

Maria era uma mulher de fé e de esperança. Ela não desistia. Ela não se entregava e apegando-se sempre ao Senhor ela seguia em frente. Ela não desanimava. Ela confiava que Deus Pai no seu imenso amor haveria de dar a cada um de nós as nossa tão sonhada e esperada recompensa por andar nos seus caminhos com fidelidade e confiança inabalável  na vida eterna. Um fato em especial merece novamente o nosso destaque. Maria, essa abençoada mulher de Deus, num momento de humildade e obediência ao nosso Deus de Amor , mesmo sendo ela mãe e autoridade física sobre o filho, ela nos apresentou aquEle que foi, que é, e que sempre será o nosso grande ajudador, mediador, transformador, libertador e salvador: o nosso amado e glorificado Senhor Jesus Cristo, quando ela sabiamente disse a todos nós:  

Fazei tudo quanto ele vos disser. – João 2:5

Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. – Disse Jesus.

Um forte abraço e fique com Deus

Edilson Rodrigues Silva

Veja também: