Como ter uma fé poderosa III

Como ter uma fé poderosa III

Na Palavra de Deus para hoje vamos ver mais um grande exemplo para edificar, e muito, a nossa fé.

1 – Um dia o nosso Deus apareceu para Abraão e disse;

Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. – Genesis 12: 1 a 3

O Senhor Deus disse que faria da descendência de Abraão uma grande nação. Quando Deus fez essa promessa Abraão tinha setenta e cinco anos de idade.

2 – Mais tarde o Senhor apareceu para Abraão e Sara. Ele prometeu que daria um filho para ao casal.

Haveria coisa alguma difícil ao SENHOR? Ao tempo determinado, tornarei a ti por este tempo da vida, e Sara terá um filho. – Genesis 18:14

3 – Depois de vinte e cinco anos da promessa inicial Deus cumpriu o prometido e deu a Abraão e Sara o filho tão desejado. Isaque, o “filho da alegria”. O filho da promessa. Nessa ocasião Abraão tinha cem anos e Sara noventa anos. 

E o SENHOR visitou a Sara, como tinha dito; e fez o SENHOR a Sara como tinha falado. E concebeu Sara e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado, que Deus lhe tinha dito. E chamou Abraão o nome de seu filho que lhe nascera, que Sara lhe dera, Isaque. – Genesis 21:1 a 3

4 – Certo dia o Senhor resolveu colocar a fé de Abraão a prova, e pediu para que ele levasse o seu filho Isaque até o monte Moriá onde o menino seria oferecido em sacrifício ao Senhor.

Quando Abraão ouviu isso da parte de Deus ele não questionou, ele não ficou reclamando ou murmurando. Logo ele preparou tudo que era necessário para a viagem e se colocou na estrada. Quando Abraão aproximou-se do local do sacrifício ele falou aos empregados que o acompanhavam: 

Então disse aos empregados: — Fiquem aqui com o jumento. Eu e o menino vamos ali adiante para adorar a Deus. Daqui a pouco nós voltamos. – Genesis 22:5

5 – E se essa situação estivesse acontecendo comigo ou com você? O quê nós faríamos diante dessa tão grande provação de ter que sacrificar o próprio filho. Um filho tão amado. O filho da promessa de Deus. Será que ficaríamos desesperados? Será que nós murmuraríamos contra Deus dizendo: por que comigo Senhor? Por que o meu filho amado Senhor?

Mas com Abraão foi tudo diferente. Abraão não ficou desesperado e não murmurou. Abraão apenas confiou. Por isso Abraão é chamado o “Pai da fé”  e “amigo de Deus”. Abraão não duvidou porque ele tinha no coração dele a marca da promessa de Deus. A fé que Abraão tinha no Senhor era tão grande que, em momento algum ele duvidou que o Senhor não cumprisse a antiga promessa de fazer da descendência dele uma grande nação. Por isso Abraão disse:

Eu e o menino vamos ali adiante para adorar a Deus. Daqui a pouco nós voltamos. – Genesis 22:5

“Eu e o menino voltaremos”. Abraão tinha no coração dele essa certeza: Eu e o meu filho Isaque iremos adorar a Deus, e o meu menino não será sacrificado ali no monte porque, dele o Senhor me prometeu fazer uma grande nação. Abraão não duvidou disso. Ele sabia que Senhor é fiel, e que Ele jamais deixa de cumprir a sua Palavra na vida de todo aqueles que depositam nEle toda confiança, fé esperança e amor. 

Um forte abraço e fique com Deus.

Edilson Rodrigues Silva

Veja também: