Lucas 13;6 a 9

lucas-136-a-9-imagem-2

Hoje eu vou contar para você, uma história muito interessante. Não perca! Vale a pena ouvir até o final. Vamos começar: 

Em uma cidade havia um grande construtor que se chamava João. O Senhor João era um homem muito bem sucedido, ele tinha uma grande empresa de construção de casas. Com ele trabalhavam muitas pessoas competentes e altamente comprometidas com a arte de construir casas. Certo dia, um homem chamado Mário foi conversar com esse grande construtor e disse para o empregador que ele estava passando por muitas dificuldades. O rapaz relatou que estava desempregado há muitos meses, e que desejaria muito receber do renomado patrão, uma nova oportunidade para trabalhar e fazer parte da grande família de construtores de casas. O detalhe interessante é que esse jovem tinha muita experiência em demolição, e não em construção de casas. O fato é que Mário estava necessitando muito de uma nova oportunidade. Ele estava numa situação muito difícil, era caso de vida ou morte.

Mesmo sabendo que o Mário não tinha nenhuma experiência na área de construção, O senhor João, que era uma pessoa muito boa e possuía um enorme coração, resolveu dar uma nova chance para o rapaz. Desta forma, o bondoso construtor mandou que o Mário fosse acertar os detalhes com o braço direito dele, o chefe dos construtores: o senhor Miguel. Assim que o jovem chegou ao canteiro central foi àquela festa. Todos ficaram muito felizes por receber mais um colaborador na grande, e feliz equipe de construtores. 

O tempo foi passando e, mais ou menos um ano depois, o senhor João resolveu dar uma olhada nos canteiros de obras, e percebeu que o Mário ainda não havia construído nenhuma casa. Como o senhor João era uma pessoa muito boa, ele pensou: o Mário ainda está se adaptando ao trabalho, com certeza, até o ano que vem, certamente ele vai construir a primeira casa dele. Infelizmente, não aconteceu assim. Depois de mais de dois anos da contratação do novo funcionário, Mário ainda não havia conseguido construir a sua primeira casa. Mais uma vez o senhor João teve paciência e resolveu esperar pelo desenvolvimento do jovem empregado. Logo depois de completar o terceiro ano da contratação do rapaz, infelizmente aconteceu de novo. Em uma vistoria pelos canteiros da construtora, novamente o senhor João não encontrou nenhuma casa construída pelo Mário.

Depois de três anos, como o senhor João não observou nenhum progresso por parte do Mário, infelizmente ele não teve outra coisa a fazer, a não ser chamar o Miguel, e mandar que ele demitisse o Mário. O patrão disse: – Miguel, já faz três anos que eu visito os canteiros à procura de alguma casa construída pelo Mário, e eu não encontro nada. Se o rapaz não tem interesse e não se dedica ao trabalho, é melhor que ele vá embora da firma e dê o lugar dele para outra pessoa que possa me dar um retorno melhor. Como Miguel também tinha um coração muito bom e piedoso, ele resolveu defender o Mário dizendo: – Senhor João, por favor, não faça isso. Deixe o Mário ficar mais um ano. Dê mais uma chance para o rapaz, ele é um jovem muito bom. Ele tem excelentes intenções. Ele não faz nada de errado. Ele nunca falta ao trabalho… Miguel ainda fez mais, ele disse assim: – Senhor João, deixe o rapaz comigo. Vou dar um jeito de, no próximo ano, fazer com que ele estude mais e se capacite melhor…  Patrão! Deixa comigo! Se o Mário conseguir fazer a primeira casa dele, Maravilha! Mas, se mesmo com tudo isso que nós estamos fazendo o rapaz não corresponder, aí não vai ter jeito patrão. Realmente, o senhor vai ter que mandar ele embora.   

Calma! A nossa história ainda não terminou. Essa história que eu acabei de contar para você é a minha versão. Agora eu gostaria que você fizesse na sua mente uma pequena troca. Coloque no lugar do Senhor João, o dono da plantação de uvas, o nosso Deus. Coloque no lugar do Mário, a figueira. Coloque no lugar das casas, os figos. E, coloque no lugar do Miguel, o servo de Deus. O Senhor Jesus. Agora ouça essa mesma história que eu contei para você, contada agora pelo próprio Senhor Jesus. Vamos ver:

Certo homem tinha uma figueira na sua plantação de uvas. E, quando foi procurar figos, não encontrou nenhum. Aí disse ao homem que tomava conta da plantação: “Olhe! Já faz três anos seguidos que venho buscar figos nesta figueira e não encontro nenhum. Corte esta figueira! Por que deixá-la continuar tirando a força da terra sem produzir nada? ” – Mas o empregado respondeu: “Patrão, deixe a figueira ficar mais este ano. Eu vou afofar a terra em volta dela e pôr bastante adubo. Se no ano que vem ela der figos, muito bem. Se não der, então mande cortá-la. ” Lucas 13:6 a 9

Você observou que na história que eu te contei não existe um final? Sabe por que não tem um final? Por que ali naquela história, o final quem faz somos todos nós, os Mários e Marias da vida. O Senhor Deus e o Senhor Jesus, já fizeram por nós, tudo que eles podiam fazer. Agora é a nossa vez. Nós temos que fazer a nossa parte. O nosso futuro na construtora do Senhor Deus só depende de cada um de nós. Ou nós nos desenvolvemos na obra ou vamos acabar na rua da amargura.

Um forte abraço para você, e fique na paz, e na sabedoria do nosso Senhor Jesus.

Edilson Rodrigues Silva

Veja também: